Como limpar a caixa d'água

 Fonte: Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo)

Algumas orientações fornecidas com exclusividade para o SíndicoNet pelo engenheiro Ricardo Reis Chain, da Divisão do Uso Racional da Água da companhia

1. Na escolha do dia, prefira sábado ou domingo, dias de menor consumo de água. E não esqueça de comunicar todos os moradores sobre a limpeza da caixa d'água.

2. Feche o registro da entrada de água, ou amarre a bóia.

3.  Quando começar a esvaziar a caixa, não jogue a água fora, tente aproveitá-la. Faça a limpeza dos pátios e ruas internas, regue o jardim, lave as vidraças ou reserve alguns baldes para usar a mesma água durante a limpeza.

4. Procure deixar um palmo de água na caixa, essa água no fundo será utilizada na lavagem da caixa.

5. Tampe a saída da água para que a sujeira não desça pelo cano.

6. Lave as paredes e o fundo da caixa com escova de fibra vegetal ou de fio de plástico macio. Nunca use sabão detergente ou outro produto. Evite escova de aço ou vassoura.

7. Retire a água da lavagem com um balde e a sujeira com uma pá de plástico. Para secar, utilize um pano e evite passar nas paredes.

8. Ainda com a saída da caixa fechada, abra o registro, ou utilize a água do balde que reservou antes de começar a limpeza e deixe entrar um palmo de água.


9.
Depois, calcule a dosagem conforme a capacidade do reservatório. No caso de 1000 litros é necessário aplicar 200 ppm de cloro, deixando agir por 2 horas.

A quantidade do produto pode ser diminuída, mas o tempo de permanência (ação) do cloro deve duplicar, por exemplo: 100 ppm de cloro num reservatório com capacidade para mil litros. Deixar agir o cloro durante quatro horas.

A medida com 200 ppm de cloro pode ser substituida por água sanitária, mas para isso é necessário verificar no rótulo do produto a quantidade de cloro e calcular a dosagem de acordo com o tamanho do reservatório.

10. Com uma broxa, balde ou caneca plástica, molhe as paredes internas com esta solução desinfetante. Aproveite para lavar a tampa.

11. A cada 30 minutos, verifique se as paredes internas da caixa secaram. Caso isso ocorra, fazer nova mistura até completar as 2 horas.

12. Não usar para mais nada essa mistura.

13. Passadas as duas horas, ainda com a bóia amarrada ou o registro fechado, esvazie a caixa abrindo a saída.

Em prédios, convém esvaziar o reservatório sem que a água (com cloro) passe pelo encanamento, retirando-a em baldes.

14. Tampe adequadamente a caixa para que não entrem pequenos animais, aves ou sujeiras. Isso evita a contaminação e transmissão de doenças.

15. Abra o registro ou desamarre a bóia. Anote do lado de fora da caixa a data da limpeza.

Voltar